REGISTROS DO TEMPO

Traditional ceramics from the Jequitinhonha Valley, the entire process of producing these ceramics is 100% manual, from the extraction and preparation of clay to modeling and painting  ( also made of natural pigmented clay). 

 

All made by the hands of the artisan Deuzani and his daughters Marcilene and Gil, in Coqueiro Campo - Minas Gerais.

Histórias moldadas através da tradicional cerâmica do Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais

O processo de produção destas cerâmicas, tradicionais do Vale do Jequitinhonha, é 100% manual, desde a extração e preparo da argila até a modelagem e pintura das peças com tintas criadas a partir da pigmentação do barro, criando características únicas que não se repetem. Tudo feito pelas mãos da Artesã Deuzani e suas filhas Marcilene e Gil, em Coqueiro Campo - Minas Gerais. No momento da encomenda deve-se consultar quais são as opções disponíveis.

Edição limitada de 20 peças, numeradas e com certificado de autenticidade.

Coincidência, destino ou acaso... Não sei dizer, só sei que mais uma vez me vi em Minas Gerais, recebida com alegria sincera, abraço apertado e sorriso no olhar. 

Chegar ao Vale do Jequitinhonha é como mergulhar em parte da nossa história, uma história que mudou muitas vidas e influenciou outras tantas.

Lugar de mulheres de força, determinação e coragem. Mulheres que colocam no barro suas almas e através dele descrevem suas vidas e acolhem seus sonhos, expressando toda delicadeza e suavidade que têm dentro de si. 

Mulheres que moldando o barro aprenderam a respeitar o tempo, sem no entanto deixá-lo passar, a aceitar as adversidades, sem se acomodar, e hoje plantam seus jardins pelo mundo, reescrevendo seus destinos.

Foi lá, no Vale do Jequitinhonha, um lugar tão cheio de passado, de histórias e tradições, que eu enchi minha alma de futuro e aprendi a viver com o tempo. O tempo onde o antigo e o novo se confundem, se fundem, transformam-se um no outro e passam a fazer parte das nossas memórias.

Coincidence, fate or chance ... I cannot say, I only know that once again I saw myself in Minas Gerais, received with sincere joy, a tight embrace and eyes that smile.

Getting to Jequitinhonha Valley is like diving into part of history, one that changed many lives and influenced so many others.

It is a place with women of strength, determination and courage. Women who put their souls in the clay and through it describe their lives and welcome their dreams, expressing all the delicacy and softness that they have inside them. Women who while molding the clay learned to respect time, without letting it pass, accept adversity, without accommodating, and today plant their gardens around the world, rewriting their stories.

It was there, in Jequitinhonha Valley, a place so full of past, of stories and traditions, that I filled my soul with the future and learned to live with time. The time where the old and the new blend, merge, transform into each other and become part of our memories.

 

Luminária Ni Mesa

2017

Inspiradas no jardim, na poesia e na alma boa da Deuzani – artesã do Vale do Jequitinhonha.

 

Flores feitas em cerâmica do Vale do Jequitinhonha transformadas em luminárias e canoplas, com pintura rendada inspirada nos vestidos das famosas bonecas da região. A lâmpada LED é acolhida num miolo torneado em madeira maciça. O fio que conduz a eletricidade é recoberto por fios de algodão orgânico cultivados na Paraíba por agricultores familiares. Delicadas peças de latão finalizam a peça dando suporte ao fio.

 

25 D x 25 H (cm) 

2017 | Exposição Moldar Mudar | A Casa Museu do Objeto Brasileiro

2018 | Menção Honrosa no 6º Prêmio do Objeto  Brasileiro | A Casa Museu do Objeto Brasileiro

 

Luminária Ni Pendente

2017

Inspiradas no jardim, na poesia e na alma boa da Deuzani – artesã do Vale do Jequitinhonha.

 

Flores feitas em cerâmica do Vale do Jequitinhonha transformadas em luminárias e canoplas, com pintura rendada inspirada nos vestidos das famosas bonecas da região. A lâmpada LED é acolhida num miolo torneado em madeira maciça. O fio que conduz a eletricidade é recoberto por fios de algodão orgânico cultivados na Paraíba por agricultores familiares. Delicadas peças de latão finalizam a peça dando suporte ao fio.

 

25 D x 25 H (cm) 

2017 | Exposição Moldar Mudar| A Casa Museu

 

Banco Tempo

2017

Feito em madeira cabreúva maciça, este banco é inspirado no banco da D. Vitalina, mestra-artesã do Vale do Jequitinhonha, que na época que conheci estava com 106 anos. Seu assento recebe incrustação de singelas peças de cerâmica, como numa marchetaria, representando a força e delicadeza desta pessoa tão especial.

50 L x 15 P x 42 H (cm)

2017 | Exposição Moldar Mudar| A Casa Museu

 

Mesa Pétalas

2017

Bases em madeira cabreúva maciça inspiradas nos desenhos das pétalas das flores dos jardins pintados pelas artesãs do Vale do Jequitinhonha em suas peças de cerâmica e muitas vezes nas fachadas de suas casas. O desenho das bases ultrapassa o tampo de mármore champanhe brasileiro e se destaca na superfície da peça. 

Tando a madeira maciça quanto o mármore são materiais naturais, portanto o desenho de seus veios e tons podem variar. Imagem ilustrativa.

Peças numeradas feitas em edição limitada.

Oval (8 pessoas): 280 L x 140 P x 75 H (cm) 

Redonda​ (6 pessoas): 160 D x 75 H (cm) 

 

Estante giratória Contas

2017

Feita em madeira cabreúva maciça, a estante recebe composições feitas com contas de cerâmica do Vale do Jequitinhonha permeiam todos os níveis da estante através de fios de buriti. 

As contas, pintadas em quatro tons diferentes provenientes do barro, pedras e plantas da própria região, são de diferentes tamanhos, gerando desenhos únicos.

 

40 D (base 50 D) x 134 H (4 nichos) - 166 H

(5 nichos) (cm) 

2017 | Exposição Moldar Mudar| A Casa Museu